Review Cards Paladino – Despontar dos Dragões

Salve Invasores!

Voltando depois de um tempo fora do site, volto continuando os reviews da espetacular expansão “Despontar dos Dragões’.

E diferente do meu amigo “Kel’thuzad”, irei complementar com a minha opinião sobre o potencial do card no modo Arena, que apesar de ser um modo esquecido, principalmente após a inclusão dos “Campos de Batalha”, ainda considero um modo muito interessante e instrutivo, pois ajuda os jogadores (sejam novos ou antigos) a entender melhor as mecânicas, os jogadores e o jogo em si.

Lembrando que a Rotação da Arena na chegada do Despontar será: 

Os Conjuntos: Básico e Clássico

As Aventuras: Montanha Rocha Negra e Uma Noite em Karazhan.

e as Expansões: O Grande Torneio, Cavaleiros do Trono de Gelo, O Ringue do Rastakhan e a nova Despontar dos Dragões.

Enfim, sem mais delongas, vamos aos Reviews.

Iremos por ordem de Raridade e custo.

 

 

Sopro de Areia: Um buff interessante para decks Midrange. o que parece ser o foco do paladino no despontar.

As ideias para o paladino no Despontar, se mostram bem variadas, seja com o tão sonhado Paladino de Dragões, o Highlander já consolidado ou o novo Paladino Puro, e em todas essas o Sopro do Dragão se torna viável, pois permite troca mais favoráveis o que é perfeito para os estilos desses arquétipos

Power Level : 

Na arena, cartas que dependem de outras para funcionar bem, são bem questionáveis.

Porem, na rotação da arena no momento da expansão será rodeada de dragões o que facilitará o uso total dos Sopros de todas as classes.

Mas considerando que pode vir como “top deck” no fim do jogo, pode ser discutível pegar 2 ou mais.

Power Level :

 

 

Explorador Bronze: A fofura dele se compara a sua força. Os Status “fracos” para custo são compensados (e muito) pelas suas palavras chaves.

Roubar vida é uma ótima pedida para metas com decks Agressivos e Midrange, pois permite quase sempre sair ganhado em uma troca.

E o fato de ele ser um Descubra, permite uma flexibilidade dependendo daquilo que você precisa no momento. e ele ainda pode Descobrir ele mesmo. 

Então, perfeito.

Power Level : 

Nada muito a acrescentar com relação a arena.

A perfeição dele se mostrará mesmo durante sua corrida na arena.

É um pick certo.

Power Level :

 

 

Vigia Âmbar: Ai, Ai….

Essa foi a carta que me chamou para o Hype do Despontar.

Se comparar com QUALQUER carta de cura que o Paladino já teve acesso, é ridícula a comparação

 

Isso pode rodar em qualquer deck de Paladino.

Ele é perfeito para decks Midrange e controle.

Curar 8 de vida sem limitação à herói ou a lacaio é absurdo, e seus status são “normais” para o custo.

Power Level : 

Nada demais a acrescentar com relação a arena.

Apenas lembrando que, na arena, a cura de preferencia deve ir nos lacaios, pois a pressão de campo é mais importante que sua vida.

Mas isso, obviamente, depende da partida.

Power Level :

 

 

 

Causa Justa: Um buff em que o controle do mesmo pode ser prejudicado pelo oponente, então pode ser difícil rodar eficientemente.

Interessante para decks agressivos, ajudada principalmente por lacaios que evocam lacaios, assim tornando o tamanho do buff ainda maior.

Porem com a força que os Dragões e outros arquétipos estão mostrando, dificilmente verá jogo.

Power Level : 

As Tarefas na Arena, são totalmente dispensáveis.

Gastar um pick com uma carta que não dá nada demais, quando se pode pegar uma mais sólida, não é uma boa pedida.

Power Level :

 

 

 

Garra Celeste: Uma das cartas que ajudam a anterior “Causa Justa”, pois mesmo com o campo vazio, pode garantir +3/+3 com a tarefa.

Interessante para decks agressivos, uma das poucas cartas que mostram que Mecanoides ainda podem ver jogo, porem assim como a tarefa, comento que a força dos dragões supera essa facilmente.

É boa, mas em comparação com o resto da expansão, é risível 

Power Level :

Nada a muito a acrescentar, mecanoides serão minoria na arena na rotação do despontar, assim, o efeito da Garra não será tão util.

Power Level :

 

 

 

Zelote Forjado a Luz: A Ideia mais interessante da expansão, o “Paladino Puro”, que assim como os decks Highlander, limita sua criação de decks, em troca de um grande poder.

A Veraprateada sozinha já que uma carta interessante, com uma 4/2 “de graça”, é sensacional.

Resta saber se o Paladino terá cartas boas o suficiente para carregar um deck sem neutras.

Power Level:

 

Já na Arena, é inviável montar um deck sem neutras, quanto mais segurar essa carta até comprar todas as neutras.

E sem seu grito de Guerra, essa carta é muito medíocre.

Power Level : 

 

 

 

Santuário: A unica tarefa de custo 2, e sendo mais dificil de cumprir, já que seu oponente dificilmente vai deixar um 3/6 vir ao campo por dois de mana.

 

Viável em decks Midrange/Controle, porem alem do combo com Tempo Técnico, ou um provocar em campo, é difícil garantir a recompensa após os turnos iniciais.

Power Level : 

 

Repetindo minha fala sobre a Causa Justa, as Tarefas dificilmente serão boas cartas na arena. pois as jogadas de tempo são prioridade durante as corridas.

E após os turnos iniciais dificilmente o oponente lhe dará espaço para que a tarefa se complete. o que torna a carta muito  inconsistente.

Power Level : 

 

Cruzado Forjado a Luz: Tirando o fato que deveria ser “Cruzada” kkk, nada a reclamar.

Para o deck de Paladino Puro, ela é equivalente ao Zéfiro para os Highlanders.

Ela sozinha, faz o deck ser viável.

Afinal, status bons para o custo e ganhe 5 cartas é simplesmente sensacional.

 No seu arquétipo, ela será a coluna do deck, ganhando um valor absurdo sozinha, e mesmo com o RNG nas cartas aleatórias, dificilmente você será punido por joga-la.

Power Level : 

Em diferença com a Zelote Forjada a Luz, o custo alto permite a possibilidade de segurar na sua mão, caso sonhe com o seu grito de guerra fortíssimo

Mas dificilmente seu grito de guerra será ativado.

Mesmo sem seu grito de guerra, ela tem status bons que ainda permitem competir o campo.

Pelos Status, 3 estrelas

Power Level:

 

 

Ginete de Dragão Talritha: A já conhecida mecânica do paladino de Buffar “infinitamente” sua mão.

A Val’anyr já trouxe esse gostinho que volta acompanhado da revoada de Nozdormu

 

 Acredito que não será essencial nos decks de Dragão, porem será um reforço que ira elevar, e muito, o potencial do deck.

E apesar de ser counterada por cartas de Silenciar, certamente é viável.

Power Level : 

A força dessa carta na arena irá depender unicamente da quantidade de dragões no seu deck.

Quanto mais dragões, melhor ela fica.

Por essa dependência, perde um pouco da sua força, porem nessa próxima arena terá um grande numero dos dragões , então continua forte.

Power Level:

 

Nozdormu, o Atemporal: E Temos a carta com maior diferença positiva de Custo/Status da Expansão (empatado com Asa da Morte) e seu grito de guerra equilibra o seu “tamanho”.

 

A força dele se torna maior a medida que o tempo passa, pois o numero de cristais de mana que se dá ao oponente é menor, porem mesmo no turno 4 sua força é notável, já que pode ser acompanhado por jogadas de 6 manas.

Power Level : 

Nada demais a acrescentar.

Status Absurdos para o custo e Grito de Guerra que não é tão prejudicial assim. 

Power Level:

Enfim, Chegamos ao fim do Review do Paladino.

Concorda ou discorda?, peço que comente para termos uma boa discussão.

Lembrando que essa é unicamente MINHA opinião

Até a próxima!

E se preparem, pois as Revoadas Dragônicas vem Insanas!

Facebook Comments

Marcos Reis

Apenas mais um jogador de HS, que apesar de ser ocupado, encontra tempo para ajudar a propagar a palavra de Kel'thuzad.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *